área de acesso restrito
  • continuar conectado
Lembrar minha senha
sem cadastro

Seminário discute as soluções para tirar o transporte público da crise

02/06/2017 | Geral

Soluções para mudar o cenário de crise, incerteza e preocupação do setor de transporte público urbano foram destaque na palestra de Marcos Bicalho, diretor administrativo e institucional da NTU, que abriu o último painel do seminário com o tema “Tarifas, financiamento e sustentabilidade do setor”.

A discussão envolveu sugestões para o setor receber recursos de fontes externas para custear os serviços e não só das tarifas, como ocorre hoje. Entre elas, a criação de uma Cide Municipal, projeto que já tramita no Congresso e propõe a taxação de um percentual sobre gasolina, etanol e gás natural veicular, a ser pago pelos proprietários do transporte individual, em prol do usuário do sistema de transporte público urbano. A proposta, da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), foi defendida pelo setor na exposição de Marcos Bicalho.

Para o diretor da NTU, outra questão crucial para o setor é definir fontes de recursos para as gratuidades, que são embutidas nas tarifas do passageiro pagante. "Não discutimos a necessidade das gratuidades, que são legitimadas pela sociedade,mas poderiam ser custeadas por recursos da Educação, no caso do passe estudantil e do Fundo Nacional do Idoso, no caso do passe livre para idosos", esclareceu.

Para o deputado federal, Carlos Zarattini (PT/SP) o seminário promovido pela NTU foi muito importante porque colocou novamente em discussão um assunto que estava sendo deixado de lado, que é a questão do transporte público. De acordo com o parlamentar a grande questão do transporte público trata da qualidade e do preço. “Precisamos dar mais velocidade ao ônibus, mais conforto para os usuários, com veículos novos, mais modernos e preços acessíveis", ressaltou.

O  vice-presidente da Caixa Econômica Federal, Carlos Derziê de Sant'Anna, a instituição financeira agora está pronta abrir linhas de crédito ao setor. "Agora, vamos começar, na verdade, toda linha de financiamento que diz respeito aos programas Pró-Transporte e Refrota 17 (específico para renovação de frota de ônibus)", anunciou.

Empenhando em vencer o desafio de dos municípios, em melhorar a qualidade do sistema de transporte urbano, Felício Ramuth, prefeito de São José dos Campos, que também é vice-presidente de mobilidade urbana da Frente, contou as dificuldades que enfrenta como gestor público dos contratos de transporte público urbano."Em São José não temos subsídios ao transporte e nossa tarifa custa R$ 4,10. Então, nosso desafio de melhorar esse serviço esbarra na falta de financiamento", informou e defendeu a Cide Municipal como uma boa alternativa à solução desse problema.

Tópicos
transporte público - NTU
receba nossa revista
cadastro
Desejo receber periodicamente a revista da NTU