área de acesso restrito
  • continuar conectado
Lembrar minha senha
sem cadastro

Programa de inovação do transporte público inicia 2º ciclo de pré-incubação

20/11/2020 | NTU

COLETIVO inicia em dezembro a primeira mentoria com quatro startups selecionadas

Dentre as seis startups finalistas do 2º Desafio do COLETIVO, realizado em 4 de setembro deste ano, quatro foram selecionadas para serem pré-incubadas pelo programa de inovação em mobilidade urbana criado pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU): são elas a VM9, a Axis Mobifintech, a X4FARE, e a Trip Controls.

Na pré-incubação, as startups serão apoiadas por meio de mentorias para auxiliar no desenvolvimento de suas soluções para alguns dos grandes desafios da mobilidade urbana, em especial do transporte coletivo. O 2º Desafio foi vencido pela VM9, startup que conquistou o júri com sua proposta para gestão inteligente e integrada de demandas de planejamento, comunicação, predição e operação dos sistemas de transportes.

Além da vencedora, a segunda e a terceira colocadas no 2º Desafio do COLETIVO – respectivamente Axis Mobifintech e X4FARE – também serão pré-incubadas pelo Programa de Inovação,  juntamente com a startup Trip Controls, escolhida pelo Conselho de Inovação da NTU.

A Axis Mobfintech, startup de São Paulo, desenvolve uma solução de pagamento para o sistema de transporte público que permite gerar novas receitas para o sistema. A X4FARE, também de São Paulo, desenvolve projeto que envolve soluções de pagamento do transporte público por meio do PIX, novo sistema de pagamento instantâneo, além de outras carteiras digitais ou qualquer meio (Vale-Transporte, estudante, EMV), por meo de comunicação via nuvem através de internet das coisas (IoT) embarcada no ônibus de forma fácil, segura e com custos reduzidos.

Também participante do programa de pré-incubação, a Trip Controls, startup de Goiânia (GO), desenvolve solução para a melhoria da mobilidade através do uso intensivo de recursos de IoT (Internet das Coisas), telemetria e meios de pagamentos (móveis e seguros, com base em blockchain), possibilitando a captura de informações georeferenciadas dos hábitos de deslocamento, permanência e consumo de usuários de transporte e condutores de veículos para o melhor planejamento do transporte.

Para Maria Luíza Machado, coordenadora de inovação do COLETIVO, o segundo ciclo de pré-incubação representa uma etapa especial do COLETIVO, que em 2019 pré-incubou dois projetos que participaram do primeiro ciclo: o ArejaBus de Salvador, e o On.I_Bus de Brasília. Estes dois projetos foram certificados em 2020 com o Selo Oficial do COLETIVO. "Em 2020 estamos superando nossa expectativa de pré-incubar pelo menos três projetos de inovação revelados durante o 2º Desafio. Fechamos com quatro pré-incubados", explica ela. Segundo a coordenadora, o COLETIVO tem um radar de startups específicas de mobilidade urbana; além das que já participam da pré-incubação, o levantamento conta hoje com cerca de 70 startups mapeadas em todo o Brasil.

Para 2021, Maria Luiza adianta que a expectativa é realizar o 3º Desafio do COLETIVO e capturar novos projetos de inovação em mobilidade urbana. Ela acredita que o contexto vai ser diferente por causa do pós-pandemia, e que muitas soluções novas poderão surgir. "O COLETIVO está mais maduro, com muitos conteúdos importantes em produção, tais como eventos on-line no YouTube (que já acontecem), fórum on-line permanente de parceiros, além das novas Câmaras Temáticas, que prometem ser um ambiente propício para a solução de problemas e a criação de novos negócios em mobilidade urbana.

Sobre o COLETIVO

O programa de inovação surgiu para fomentar a evolução do transporte público coletivo, visando à mobilidade sustentável nas cidades, o desenvolvimento das pessoas e da qualidade de vida. Foi concebido para promover um ecossistema de inovação entre os principais públicos ligados à mobilidade urbana e, assim, desenvolver soluções inovadoras com foco no usuário do transporte coletivo urbano.