área de acesso restrito
  • continuar conectado
Lembrar minha senha
sem cadastro

Cartões com dupla função facilitam a vida dos passageiros de ônibus

28/12/2016 | Geral

Nos últimos quatro anos, houve um crescimento de cidades que passaram a utilizar o sistema de bilhetagem eletrônica. Atualmente, 86,5% das empresas que operam o transporte coletivo por ônibus urbano utilizam essa tecnologia, de acordo com dados da Sondagem Expectativas Econômicas do Transportador, realizada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). No entanto, o cartão utilizado inicialmente para o pagamento do transporte coletivo, começa a ganhar novas funções, melhorando ainda mais a vida de quem o utiliza.

De acordo com o diretor técnico da NTU, André Dantas, o Brasil tem desenvolvido sistemas bastante avançados com uma grande quantidade de aplicações, que acabam surpreendendo. “Hoje, o sistema de bilhetagem eletrônica no Brasil chama muita atenção por ser bastante consolidado, ser autofinanciável, que inibe tentativas de fraude e de evasão, o que demonstra o trabalho muito intenso que está sendo realizado em novas tecnologias”, pontua.

Agregar novos produtos ao serviço de bilhetagem eletrônica é algo cada vez mais comum e a utilização do cartão de tarifa para compras faz parte deles. Recentemente, no Rio de Janeiro, o RioCard – empresa que gerencia o sistema de bilhetagem eletrônica no Rio de Janeiro – lançou o cartão RioCard Duo, com a finalidade de o passageiro poder pagar as suas passagens no sistema de transporte da cidade e também efetuar compras com o cartão que possui bandeira Visa. A novidade foi lançada oficialmente durante o Fórum RioCard, no 17° Etransport, realizado nos dias 23, 24 e 25, no Rio de Janeiro. Anteriormente, o cartão passou por testes durante as Olimpíadas.

Dados de abril de 2015, da Data Popular, mostram que apenas 6% da população de baixa renda no Brasil possuem cartão de crédito. O cartão RioCard, apesar de ser pré-pago, foi projetado para facilitar a vida das pessoas, relata Daniel Werneck, gerente de Novos Negócios e Projetos da RioCard. “Esse modelo oferece mais poder de compra a um público que hoje não tem a facilidade de utilizar cartão como forma de pagamento”, complementa.

Os pais que precisam manter os gastos com o transporte público e custos eventuais de seus filhos também podem se beneficiar mantendo o controle dos gastos, já que é possível verificar as despesas realizadas. Os empregadores que pretendem realizar contratações temporárias podem oferecer o pagamento do transporte e do salário em um único cartão, sem a necessidade de abrirem contas em bancos. O usuário que possuir o Rio Card Duo também terá o benefício de receber créditos consignados, realizar transferências e utilizar o cartão fora do Brasil.

Segurança, funcionalidade e tecnologia

“Existe um problema seríssimo que afeta o motorista, o cobrador e toda a família do transporte coletivo que é a violência e a falta de segurança em torno desse serviço”. O alerta vem do diretor técnico da NTU, André Dantas, ao relatar a insegurança que ronda o transporte urbano brasileiro e de como a bilhetagem eletrônica vem contribuindo para a diminuição dessas práticas.

“A bilhetagem eletrônica possibilita a redução no número de assaltos dentro dos coletivos. Em algumas cidades brasileiras, como Campo Grande (MS), o Ministério Público tem atuado para retirada total do dinheiro de circulação dentro dos ônibus”, completa André. O cartão com dupla função também contribui para que isso aconteça, já que o passageiro poderá sair às ruas e pegar o coletivo sem dinheiro em espécie na carteira.

O RioCard Duo possui dois chips separados para armazenamento dos valores destinados às funções transportes e compras. A aquisição de novas recargas do cartão pré-pago pode ser em casas de câmbio ou realizada pelo site www.riocardduo.com. Basta o usuário definir o valor, pagar o boleto ou fazer um débito em conta. Já a função transporte pode ser recarregada pela Recarga Fácil, lojas, ATMs e estabelecimentos comerciais credenciados. 

 

Matéria publicada na revista NTU Urbano edição novembro/dezembro 2016.